Tratar é importante…

(esse post deveria ter ido ao ar ontem, dia 14, na Blogagem coletiva pela cura do diabetes)

Geralmente quando eu começo a repetir demais uma mesma coisa, é porque ou ela faz muita diferença para mim, ou eu preciso mudá-la em minha vida. E quando o assunto é diabetes, há algum tempo já, venho repetindo que Tratar é importante, prevenir é importante, controlar é importante, etc…

Quem já leu alguns textos aqui no blog, sabe que sou filho de diabético, que convivi durante a minha adolescencia com problemas decorrentes de um diabetes mal cuidado. Não por falta de vontade (às vezes até sim) mas por falta de conhecimento e tecnologia, ou acesso à ela. Meu pai precisou passar por um transplante de rins e pâncreas, e hoje, convive com outras consequencias, entre elas, um olho praticamente cego, e outro que constantemente sofre um derrame e o deixa completamente cego por alguns dias.

Há algumas semanas um usuário do Glicemias Online publicou algumas fotos do seu “pé diabético”. Como consequencia de um tratamento mal feito, ele teve vários problemas, e um simples calo, quase custou-lhe um pé. Se voltarmos mais um pouco no tempo, alguns anos atrás perdemos um dos melhores técnicos de futebol que o mundo conheceu, Tele Santana faleceu em decorrencia de um diabétes mal cuidado, antes disso, passou por várias internações e teve as pernas amputadas.

Até alguns meses atrás eu ouvia vários elogíos a respeito da forma como vinha me tratando, mas tantos problemas pessoais, trabalho, e a vida corrida da cidade grande, (que não são desculpas ou justificativas, a falha é completamente minha) foram fazendo com que eu deixasse o tratamento de lado… Controlasse menos minha glicemia e como consequencia, desequilibrase.

Entre pensar na cura do diabetes e pensar em tratar as pessoas que vivem com a doença hoje, eu opto pela segunda opção. A cura não está longe, eu acredito nisso, os experimentos e as descobertas são cada vez mais constantes, técnicas diferentes, melhorias em medicações, etc… Claro, é um mercado bilionário. Em uma pesquisa que fizemos alguns anos atrás, cerca de 5 bilhões de dolares eram gastos anualmente apenas com a compra de ‘acessórios’ de um dibético, (agulhas, seringas, glicosímetros, etc…) e mais outros muitos bilhões, com insulina.

Mas limitar o pensamento, acreditando que apenas porque bilhões de dolares são movimentados anualmente, a cura será postergada, soa me como teoria da conspiração. A cura também irá gerar receitas de bilhões, senão trilhões, quadrilhões de dolares, para a indústria farmaceutica. Ainda, curar o diabetes não é tudo. Precisamos pensar em como curar os milhares de rins que sofreram com o diabetes, os milhares de olhos danificados, nervos, pernas, e por ai vai.

Mesmo que sonhemos com a cura, mesmo que ela esteja cada vez mais próxima, não devemos deixar de pensar no hoje, em como iremos viver melhor, com diabetes, até que a cura chegue, e quando chegar, ainda não será para todo mundo, ainda precisaremos cuidar de muita gente, crianças e idosos.

E para que estejamos prontos para receber a cura, precisamos antes, estarmos bem cuidados, sem variações grandes de glicemia ao longo do dia, sem hipos ou hipers, com a A1c na faixa. Sem rins e olhos “machucados”. Porque só assim, estaremos aptos a receber o presente da cura.

2 comentários para “Tratar é importante…”

  1. Vanessa Cabra 15 July 2011 at 10:54 #

    A cura é um sonho para todos que tem diabetes,inclusive,ou talvez até mais,para aqueles que já têm uma complicação instalada.Precisamos de fato, de capacitação por parte de profissionais de saúde para o tratamento.Falta informação e também algum tipo de apoio psicológico para mudança de comportamento das pessoas com diabetes,pois não basta somente conhecimento para que efetivamente uma mudança aconteça.
    O cotidiano das pessoas com diabetes é desgastante e às vezes o sentimento de “anormalidade” toma proporções relevantes acarretando limitações ,inclusive sociais.
    Acredito que a cura deverá andar lado a lado de políticas sociais e de saúde pública e enquanto ela não chega,devemos ter acesso a melhores opções de tratamento,de acordo com a necessidade real de cada pessoa com diabetes.

    • Bruna 10 August 2011 at 14:05 #

      Olá Vanessa. Concorde plenamente com voce, sou diabética há 13 anos e como estudante de psicologia deve dizer que mais do que nunca o diabético deve perceber e fazer acontecer a mudança em sua vida. as politicas publicas na saúde devem estar agregadas ao que dz respeito ao diabético, pois somente desta forma poderemos ter uma vida mais tranquila com todos os gastos que temos.