Tratamento a laser renova esperanças de portadores de diabetes

Feridas decorrentes da diabetes podem ser tratadas com laser.

Os portadores de diabetes convivem com restrições alimentares e podem desenvolver algumas complicações crônicas como a Nefropatia Diabética (problemas nos rins), Neuropatia Diabética (problemas no sistema nervoso), maior risco de contrair infecções ? pois os glóbulos brancos (responsáveis pelo combate a vírus, bactérias) ficam menos eficazes com a hiperglicemia, Retinopatia Diabética (lesões na retina) e o Pé Diabético.

Para minimizar os impactos da doença, os diabéticos contam com uma dieta alimentar balanceada, produtos diet, injeções de insulinas e o laser, importante ferramenta no tratamento do Pé Diabético. O problema é fruto da dificuldade que os pacientes de diabetes têm na circulação sanguínea nos membros inferiores, principalmente nos pés. Uma área machucada ou infeccionada na base do pé, se não for tratada, pode desenvolver uma úlcera diabética (feridas com dificuldade de cicatrização), porta de entrada para infecções. Em casos graves, pode ocorrer a amputação de dedos ou de até mesmo todo membro inferior.

O laser é um recurso utilizado na medicina há mais de 20 anos. Na Fisioterapia mostra excelentes resultados no tratamento de feridas, cicatrizes cirúrgicas, queimaduras e úlceras de todos os tipos. O tratamento com laser é um método rápido e eficaz, não tem contra-indicações, uma vez que não existe alergia à radiação e pode ser feito em conjunto com qualquer outro método de tratamento, como antiinflamatórios, analgésicos, dentre outros.

Aliando os benefícios do laser ao tratamento de lesões em diabéticos, o fisioterapeuta Leonardo Alencar desenvolveu um estudo chamado ?O efeito da terapia laser de baixa intensidade sobre a cicatrização em camundongos da linhagem NOD (diabético não obeso)?, apresentado como trabalho de graduação na Faculdade Santa Terezinha (CEST) e realizado no laboratório do Mestrado de Ciências da Saúde, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

A pesquisa foi realizada durante seis meses e nesse período o pesquisador verificou a eficácia do laser na cicatrização em feridas de ?camundongos diabéticos?, semelhantes às que desencadeiam o ?Pé diabético?.

O desenvolvimento do trabalho

A pesquisa foi fruto da colaboração entre duas Instituições de Ensino Superior: o CEST, instituição em que o fisioterapeuta estudou e a UFMA, que forneceu os animais (por meio do Biotério Central) e a estrutura para realização da pesquisa (o laboratório de Imunofisiologia), além do apoio acadêmico da professora Dra. Flávia Raquel F. do Nascimento.

Para realização do estudo, os camundongos selecionados foram divididos em dois grupos: o de controle, tratado apenas com aplicação de soro fisiológico; e o experimental, com aplicação do laser. O tratamento era feito em dias alternados e ao final de 21dias de tratamento todos os animais já tinham cicatrizado totalmente. As feridas foram tratadas somente com o laser.

Os tratados com laser apresentaram características clínicas de melhor qualidade durante o processo de cicatrização, ou seja, formavam mais rapidamente o cascão das feridas. Isso demonstra que o processo cicatricial com o laser é melhor, pois aumenta a proteção contra agressões físicas (pancadas), químicas (substâncias irritativas) e biológicas (microorganismos que provocam infecções). ?Também observamos que na maioria dos dias as feridas nos animais tratados com laser geralmente estavam menores do que as dos não tratados?, completa Leonardo Alencar.

As úlceras diabéticas provocam, em grande maioria das vezes, a amputação de membros, consequentemente causando um grande impacto na sociedade, pois o governo tem grandes gastos com estadia hospitalares, cirurgia e medicamentos. Além disso, as lesões prejudicam a capacidade funcional dessas pessoas, fazendo com que se tornem inativas mais cedo ou diminuindo a sua capacidade de produção, gerando mais gasto para a Previdência Social.

Autora: Mariana Eça de Queiroz

4 comentários para “Tratamento a laser renova esperanças de portadores de diabetes”

  1. luana inacio gomes camapana barbosa 26 junho 2010 at 14:07 #

    estar sendo um avanço muito esparançoso para as pessoas com essa doença.uma chance de cura restabelecimento das ferecida que muitas vezes causa muitos sofrimento para todos .

  2. Fabiana 30 junho 2010 at 06:26 #

    O laser tem demonstrado resultados muito positivos no tratamento de feridas.
    É um recurso terapêutico eficaz, porém não podemos dizer que não há contra-indicações, pelo contrário. Quanto às feridas, ainda não temos certeza se feridas infectadas podem ser irradiadas com o laser. Há pesquisas que demonstram que sim e outras que não.

  3. Guaraci rosa 14 outubro 2010 at 00:00 #

    Moro no Canada,e meu pai que mora no Brasil esta aqui fazendo um tratamento a laser, para neuropatia,gostaria de saber se existe algo similar no brasil

    • admin 22 outubro 2010 at 11:58 #

      Olá Guaraci,

      não conhecemos nenhum tipo de tratamento assim aqui no Brasil mas ficaremos de olho. Se soubermos de alguma coisa, com certeza colocaremos aqui no blog.
      Obrigado pela informação.