Insulina, como tudo começou…

Hoje diabéticos usam canetas de insulina, bomba de infusão de insulina, e quem sabe passarão a utilizar insulina inalável! Mas nem sempre foi assim. Antes da insulina injetável, pacientes com diabetes tinham que evitar qualquer tipo de carboídrato e amido. A dieta era baseada em salada e ovo. Eram ingeridas somente as calorias necessárias para sobreviver. Os pacientes diabéticos ficavam esqueléticos até que o excesso de glicose desaparecesse do sangue e da urina.

Em 1921, o Dr. Frederick Banting, médico canadense, e seu assistente, fizeram testes em cachorros diabéticos durante todo verão. Na 92ª tentativa, tiveram sucesso! A injeção de insulina funcionou na collie amarela.

Mães começaram a escrever pro Dr. Banting querendo saber mais a respeito da descoberta! Antoinette, mãe de Elizabeth, uma garotinha diabética, queria poder usar o novo remédio descoberto, enviou cartas para o Dr. Banting, mas o médico negou a possibiliade de fazerem os testes alegando que eles tiveram muitos problemas em fazer insulina suficiente. Não daria para mais de um punhado de pacientes.

Depois de algumas semanas, talvez por intervenções jurídicas, o Dr. Banting mudou de idéia. Elizabeth viajou até toronto para conseguir as injeções. Para ela foi o fim a dietoterapia, mas outras crianças ainda esperaram muito até que os canadenses resolvessem como iam distribuir as poucas injeções de insulina que tinham.

A farmacêutica Eli J Lilly, ganhou o direito de produzir a insulina em massa. Foi a primeira parceria entre acadêmicos, médicos individuais e a indústria farmacêutica. O mais complicado não era o descobrimento da insulina e sim o alto custo e a dificuldade logística de manter e transportar o medicamento. Mas não demorou muito até que carregamentos de gado e de pâncreas de porco chegassem à fábrica da Lilly. Em 1932 o preço da insulina já havia caído 90%.

Enquanto isso, pela primeira vez, os médicos tinham que dividir a responsabilidade do tratamento com os pacientes. O diabetes foi a primeira doença que fez os médicos darem alguma autonomia aos pacientes. Os pacientes provavam sua própria urina para checar a quantidade de glicose e poder calcular as doses de insulina. Elizabeth durante seu tratamento em Toronto aprendeu a aplicar insulina sozinha, nesse momento escreveu para a mãe “Agora me sinto completamente independente!”.

Elizabeth Hughes, a primeira criança a tomar insulina, morreu em 1981, aos 74 anos. Ela destruiu todo material que poderia falar sobre o seu tratamento.

Nos EUA, foi aberta uma exposição no New York Historical Society, com imagens dramáticas que contam essa história que relatamos acima. Trata-se de uma exposição vívida e cheia de dramas que durará até janeiro de 2011. É o milagre da descoberta da insulina. Elizabeth é o centro da história contada na exposição, com diálogos e cenas criadas pelos escritores e historiadores.

Fonte: New York Times

2 comentários para “Insulina, como tudo começou…”

  1. Valdir Ferrira do Rosário 26 October 2010 at 08:39 #

    Agradeço A Deus por ter inspirado o Dr.Frederik Banting e seus auxiliares, na descoberta da insulina.Aguardo para que outros Dres. como Dr. Frederik dediquem seus conhecimentos em busca da cura definitiva da diabetes.
    Gostei da meteria.
    Abraços
    Valdir

  2. Alex Brito 26 October 2010 at 18:51 #

    Realmente o tratamento para a diabetes tem vindo a ser cada vez melhor, mais democrático, chegando cada vez a mais pessoas.
    Pena é que políticos sem escrúpulos ainda não se conscientizem que são parte do problema, permitindo que cadeias como o MacDonalds, Pizza Hut e outros engordem os bolsos com a comida de fácil lucro, sem valor alimentar que mais parece engordar PORCOS HUMANOS para a industria farmaceutica dos EUA enriquecer.
    Chega de população obesa, de AVC’s cada vez mais frequentes em jovens, de Coca Cola e outras porcarias.

    BASTA
    É TEMPO DE LUTAR CONTRA ESTAS CATEDRAIS DO FAST FOOD