Falsa hiperglicemia – alerta da ANVISA e FDA

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilancia Sanitária) e o FDA (Food and Drug Administration – USA) divulgaram alertas (alerta da ANVISA, alerta do FDA) sobre o uso de tiras reagentes, as fitas usadas nos monitores de glicemia, que usam a tecnologia GDH-PQQ (Glicose Desidrogenase com Pirroloquinolina Quinona).

Segundo o alerta 992 da ANVISA, o FDA por meio de estudos realizados entre 1997 e 2009 identificou que o uso de fitas baseadas nesse tipo de tecnologia, em unidades de saúde, com amostras de sangue que possam conter outros açucares (por exemplo Maltose, Xilose e Galactose) podem produzir resultados falsos, indicando taxas de glicemia mais altas que as reais.

Esses açucares, que não glicoses, capazes de interferir no resultado informado pelas tiras reagentes que usam a tecnologia GDH-PQQ, podem aparecer em produtos biológicos, ou serem resultado do metabolismo de outros produtos. O resultado falso de hiperglicemia pode resultar em dosagens inapropriadas de insulina, resultando em hipoglicemia, coma e até mesmo óbito. Os resultados falsos também podem camuflar casos de hipoglicemia verdadeira, caso os profissionais de saúde ou pacientes, basearem-se apenas no resultado obitido através de exames com fitas reagentes baseadas em GDH-PQQ.

Entre 1997 e 2009 o FDA registrou 13 óbitos por administração excessiva de insulina, alguns desses óbitos indicaram hipoglicemia, confusão, deterioração neurológica, hipóxia grave, dano cerebral e ou coma antes do óbito. Segundo a ANVISA “os produtos de açúcar que não glicose envolvidos nesses relatos incluem Extranel (icodextrina), Potacor R, Octagam e uma infusão contendo maltose. Mais produtos podem interferir nos resultados: Orencia (Abatacept), Gamimune N 5%, WinRho SDF Liquid, Vaccina Immune Globulin Intravenous (human), HepaGam N, Bexxat (agente de radioimunoterapia) Solução para redução de adesão Adept (4% de icodextrina) e qualquer produto que contenha ou que seja metabolizado em maltose, galactose ou xilose.”

“As recomendações aos usuários são as seguintes: (1) Evitar o uso de fitas reagentes de GDH-PQQ em unidades de saúde que realizem diálise peritoneal; (2) Se a sua unidade de saúde usar fitas reagentes de GDH-PQQ, não as use em pacientes que estejam recebendo produtos que interferem ou pacientes dos quais ou sobre os quais você não consiga obter informações referentes ao uso de medicamentos concomitantes (p.e. pacientes não-responsivos, pacientes incapazes de se comunicar); (3) Verifique, no momento da internação e periodicamente durante a hospitalização, se os pacientes estão recebendo produtos incompatíveis; (4) Informe a equipe e os pacientes sobre o potencial para falsas leituras elevadas na presença de certos açúcares que não glicose com fitas reagentes de GDH-PQQ; (5) Considere a implementação de alertas de interações medicamentosas em sistemas informatizados de registro, quadros e prontuários de pacientes a fim de alertar a equipe sobre o potencial para falsos resultados de glicose elevada; (6) Verifique periodicamente os resultados do glicosímetro com ensaios laboratoriais. (7) Notifique ao Sistema Nacional de Vigilância Sanitária quaisquer problemas ocorridos em sua unidade de saúde.”

Ainda segundo a ANVISA, não foi relatada nenhuma ocorrência até a data de publicação deste alerta, em 08/10/2009.

Disponibilizamos um arquivo com a lista dos monitores de glicemia, disponibilizado no site glucosesafety.com e qual a tecnologia usada em suas tiras reagentes. Clique aqui para fazer o download do arquivo.

Um comentário para “Falsa hiperglicemia – alerta da ANVISA e FDA”

  1. […] This post was mentioned on Twitter by rafael apocalypse and nadia domingues, glicemias online. glicemias online said: ANVISA e FDA alertam: fitas reagentes podem indicar falsa hiperglicemia! http://bit.ly/bLDnEn […]