Cientistas clonam célula produtora de insulina

DNA Strands
Cientistas em Nova Iorque, EUA, deram um importante passo em direção à cura do diabetes, clonando células produtoras de insulina apartir do DNA de uma mulher diabética.

Essa abordagem pode gerar impacto no tratamento do diabetes tipo 1, geralmente diagnosticado na infância, e atinge cerca de 25% da população diabética.

A doença “mata” as células produtoras de insulina no pâncreas, pessoas com diabetes tipo 1, precisam de injeções (geralmente diárias) de insulina para controlar a quantidade de glicose (açucar) no sangue.

Dieter Egli do New York Stem Cell Foundation liderou a pesquisa publicada no jornal Nature, “Este novo trabalho é um passo para no futuro realizarmos transplantes de células geneticamente modificadas”.

Doug Melton do Havard Stem Cell Institute, que não estava envolvido com as pesquisas, declarou que o resultado é tecnicamente impressionante. Mas ele disse acreditar que a técnica é mais útil como uma ferramenta de pesquisa que como uma fonte para transplantes. “As células podem ajudar os cientistas a descobrir a causa do diabetes tipo 1, o que pode refletir em melhores tratamentos”, disse Doug.

A técnica usada lembra o processo usado para clonagem de animais. Basicamente os cientistas colocaram o DNA retirado da pele da mulher em óvulos. Os óvulos foram cultivados até se tornarem embriões. Neste ponto os cientistas removeram as células-tronco, capazes de se transformar em qualquer tipo de célula do corpo humano. Essas células-tronco foram então, transformadas em células produtoras de insulina.

Dieter Egli disse aos jornalistas que essas células tem se mostrado promissoras, em testes realizados com animais, mas que não poderia estimar uma data para o inicio dos testes em humanos.

Este é o terceiro experimento, publicado, que usa a técnica da clonagem para criar células-tronco, e o primeiro a usar essa técnica para criar células produtoras de insulina.

Fonte: http://www.nature.com/nature

Os comentários estão fechados para este post.