7 dicas para quem descobriu que é diabético tipo 2

foto de Sriram Bala no Flickr

foto de Sriram Bala no Flickr

Semana passada deixamos 7 dicas para quem acabou de descobrir que está diabético tipo 1. Agora o foco são os diabéticos tipo 2.

1 – Ser diabético não quer diser que você falhou.

O diabetes tipo 2 pode ser desenvolvido por uma série de fatores. O estilo de vida que você leva, com certeza representa uma boa parte desses fatores (alimentação, prática de atividades físicas, stress, noites mal dormidas), mas fatores genéticos também tem são importantes. Diabetes tipo 2 é alardeado pela mídia como consequência do sobre-peso. É verdade que muitos obesos desenvolvem diabetes tipo 2, mas muitos também nunca chegam a desenvolver a doença.

Diabetes tipo dois envolve dois fatores fisiológicos, resistência à insulina e baixa produção de insulina. Esses problemas levam a uma alta na taxa de açúcar no sangue, que com o tempo pode levar a complicações como doenças cardíacas, retinopatia e neuropatias.

Os tratamentos para o diabetes tipo 2, incluem uma dieta alimentar, prática regular de atividades físicas e medicamentos (insulinas e hipoglicemiantes orais) para baixar o nível de açúcar no sangue.

2 – O esforço para cuidar bem do diabetes logo após o diagnóstico paga-se no médio e longo prazo.

Diabetes, tipo 1 ou 2, não são uma sentença de morte, mas é uma doença séria que demanda atenção continua. Ignora-la pode não trazer consequências imediatas, a alta das taxas de glicose no sangue não são dolorosas e geralmente demoram-se horas e até dias até que os primeiros sintomas apareçam. Mas manter altas taxas de glicemia durante muito tempo danificam o sistema nervoso, vasos sanguíneos, olhos, coração e rins. Controlar o nível de açúcar no sangue imediatamente assim como outros fatores de risco (colesterol, pressão sanguínea e peso) é necessário para prevenir essas consequências.

Perder apenas um pouco do peso, e mantê-lo, pode ajudar a controlar melhor as taxas de açúcar no sangue, bem como trazer outros benefícios clínicos.

Tenha em mente que manter um bom controle do diabetes traz benefícios a longo prazo, mas também imediatos. Seu humor e energia são altamente afetados pela taxa de açúcar no seu sangue.

3 – Saiba que diabetes é uma doença progressiva.

Quando um paciente é diagnosticado com diabetes tipo 2, ele pode já ter perdido aproximadamente 50% das células produtoras de insulinas no pâncreas, e geralmente já são insulino-resistentes, o que significa que o organismo não consegue usar a insulina produzida, de forma eficiente. Alguns pacientes conseguem controlar as taxas de açúcar no sangue seguindo apenas uma dieta alimentar, e praticando exercícios físicos. Mas com o tempo, as células produtoras de insulina diminuem o que torna mais difícil controlar a glicemia apenas com dietas e exercícios físicos, então esses pacientes passam a necessitar de medicamentos para ajudar a controlar as taxas de glicemia.

A boa noticia é que hoje já existem diversos medicamentos que podem auxiliar o diabético tipo 2 a controlar as taxas de glicemia no sangue, sem que eles tenham muitas hipoglicemias, fome excessíva, ganho de peso, etc… E usar algum ou alguns desses medicamentos não significa que você falhou. Controlar bem as taxas de glicemia podem desacelerar a perda de células produtoras de insulina o que já é um grande motivo para adotar um tratamento precoce e agressivo.

4 – Alimentos estão diretamente relacionados ao aumento das taxas de glicose no sangue.

Administrar o consumo de carboidratos e o horário das refeições pode ter um enorme impacto nas suas glicemias. Carboidratos aumentam a taxa de açúcar no sangue muito mais rápido do que proteínas e gorduras, e por isso requerem um monitoramento mais efetivo. Algumas dicas:
Tente não consumir carboidratos demais em uma única refeição
Evite bebidas com alta quantidade de carboidratos (a não ser em caso de hipoglicemias). Evite refrigerantes e grandes quantidades de sucos de frutas (mesmo os light e diet podem ter carboidratos)
Observe sempre as embalagens dos alimentos e bebidas que você consome, procure saber a quantidade de carboidratos por porção e opte pelos alimentos com menos quantidade deles.

5 – Atividade física é um remédio gratuito. Mova-se!

A prática regular de atividades físicas, ao menos 30 minutos ao dia, ajuda a diminuir as taxas de glicose no sangue e ajudam seu organismo a usar melhor a insulina disponível e também ajuda a reduzir o colesterol. Se você já gosta de algum esporte (futebol, corridas, caminhadas, natação) continue praticando. Se você não pratica atividades físicas regulares, começe agora! Até mesmo uma simples caminhada pode ajudar a reduzir as taxas de açúcar no seu sangue.

6 – Meça sua glicemia!

Um bom controle do diabetes tem necessariamente que medições constantes da glicemia. Faça medições antes e após (30 minutos a duas horas) as refeições, antes e depois da prática de atividades físicas, ao acordar, antes de dormir. O Glicemias Online é um ótimo parceiro para você guardar um histórico das suas medições de insulina e para que você identifique padrões, como por exemplo, saber que suas glicemias são mais altas quando você está resfriado, ou simplesmente como um almoço com frango grelhado e uma massa podem afetar a sua taxa de glicemia.

7 – Aprenda sobre diabetes e procure ajuda.

Os tratamentos para o diabetes evoluem constantemente, alguns anos atrás mal existiam glicosímetros no mercado, hoje você pode consegui-los gratuitamente em um posto de saúde. Medicamentos novos surgem a todo momento, e saber sobre eles, e sobre a doença irá fazer a sua conversa com o medico endocrinologista mais proveitosa.

Eduque seus amigos e familiares a respeito da doença, procure ler livros e blogs que falam do assunto e converse sempre com seu médico.

Procure ajuda com profissionais e com seus amigos e familiares, cuidar bem do seu diabetes será muito mais fácil com a ajuda deles.

2 comentários para “7 dicas para quem descobriu que é diabético tipo 2”

  1. Maria de Fatima 1 July 2014 at 15:04 #

    Bao tarde,

    Gostaria de saber sou diabetica há 8 anos, e estou tomando uma fibra de aveia e beterraba da Herballife, achei que a minha glicose aumentou muito, e agora não estou conseguindo baixar.

    O que devo fazer?

    Obrigado

    Fatima fone ** **** ****

    • Rafael Apocalypse 1 July 2014 at 15:11 #

      Olá Fátima!

      praticamente todos os alimentos acabam virando “glicose” no nosso organismo. Por isso a glicemia aumenta após as refeições.

      Você deve procurar seu médico endocrinologista, o quanto antes, leve a embalagem do alimento, e converse com ele sobre sua alimentação, atividades físicas e como isso afeta suas glicemias.

      Anotar todas as medições de glicemia, quando você toma insulina ou outro medicamento para o diabetes, e quantos carboidratos você consome nas refeições, ajuda seu médico a te dar um melhor tratamento. E fazer isso com o Glicemias Online é ainda mais fácil!